Acervos históricos e estudos de urbanização: cruzamento de fontes urbanísticas e judiciárias como recurso metodológico

Monique Felix Borin

Resumo

Os estudos sobre a urbanização das cidades brasileiras no século XIX e início do século XX foram uma tendência que auxiliou no fortalecimento do campo da história das cidades, em geral se apoiando na análise de legislações e planos urbanísticos que regulavam a estrutura e infraestrutura física urbana. Nos últimos anos vivemos um movimento de pluralização dessas fontes, expandindo as investigações para outros tipos de documentos urbanísticos, como requerimentos, relatórios, registro de imóveis, levantamentos topográficos, mapas e fotografias técnicas. Manteve-se, no entanto, uma centralidade em fontes que poderíamos definir como de origem urbanística, ou seja, que já foram produzidas diretamente para tratar das questões do urbano. Nesta comunicação propomos o cruzamento de fontes urbanísticas com fontes de natureza distinta como metodologia para o estudo da urbanização das cidades brasileiras no período, particularmente a urbanização de bairros centrais de São Paulo. Tal estudo de caso servirá para avaliar as potencialidades e as problemáticas do cruzamento de fontes proposto, particularmente a série Obras Particulares, do Arquivo Histórico de São Paulo com os Autos Crime do Arquivo do Tribunal de Justiça de São Paulo. O enfoque dessa proposta metodológica se alinha com investigações que tratam do papel da população e da iniciativa privada como agentes importantes na urbanização das cidades brasileiras, deslocando um foco excessivo no estudo de grandes obras públicas, que dominaram muitos dos estudos iniciais sobre essa temática e que têm uma relação clara com a preponderância do uso da legislação como fonte exclusiva. Essa perspectiva de análise traz implicações teóricas, que serão discutidas a partir do diálogo com Walter Benjamin e Beatriz Sarlo sobre o papel do cotidiano na formação das cidades, que perseguimos a partir do conceito de experiência da urbanização.

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, W. Sobre alguns temas de Baudelaire. BENJAMIN, W. In: Modernidade e os modernos. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1975.

BRESCIANI, M. S. M. Permanência e ruptura no estudo das cidades. In: Anais do II Seminário de História da Cidade e do Urbanismo, Salvador: UFBA, 1993.

BRESCIANI, M. S. M. Cidade e História. In: OLIVEIRA, L. L. (Org.). Cidade: História e desafios. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2002.

BRESCIANI, M. S. M. Interdisciplinaridade? Transdisciplinaridade nos estudos urbanos. In: Urbana - Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos da Cidade, v. v. 7, n. 1, p. 10-62, 2015.

BUENO, B. P. S. Mercado Imobiliário em perspectiva histórica (1809-1950). In: REIS FILHO, N. G. Sobre a Dispersão Urbana. São Paulo: Via das Artes, 2009.

BUENO, B. P. S. Novas tecnologias para velhos desenhos: projeto de pesquisa “arquivo histórico municipal Washington Luís - a cidade de São Paulo e sua arquitetura” In: 9º seminário docomomo Brasil: interdisciplinaridade e experiências em documentação e preservação do patrimônio recente. Brasília . Junho de 2011. Disponível em:< http://www.docomomo.org.br/seminario%209%20pdfs/164_M02_RM-Novas TecnologiasVelhosDesenhos-ART_beatriz_bueno.pdf>. Acessado em: 12/05/2016.

CAMPOS, C. M. Os rumos da cidade: Urbanismo e modernização em São Paulo. São Paulo: Senac, 2002.

CARPINTÉRO, M. V. T; CERASOLIi, J. F. A cidade como história. In: História: Questões & Debates, Curitiba, n. 50, p. 61-101, jan./jun. 2009. Editora UFPR.

CERASOLIi, J. F. Modernização no plural: obras públicas, tensões sociais e cidadania em São Paulo na passagem do século XIX para o XX. Campinas: Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas, 2004

CHOAY, F. O urbanismo, utopias e realidade, uma antologia. São Paulo: Perspectiva, 1965.

FARGE, A. O sabor do arquivo. São Paulo: Edusp, 2009

GENNARI, L. A. As casas em série do Brás e da Mooca: um aspecto da constituição da cidade de São Paulo. São Paulo: Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, 2005.

LEFBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

MARINS, P. C. G. Um lugar para as elites: os Campos Elíseos de Glette e Nothmann no imaginário urbano de São Paulo. In: org. LANNA, A.; PEIXOTO, F.; LIRA, J.; SAMPAIO, M. São Paulo, os estrangeiros e a construção das cidades. 209-244. São Paulo: Alameda, 2011.

REIS FILHO, N. G. Sobre a história da urbanização: história urbana. In: Espaço & Debates, São Paulo, n. 34, p. 15-18, 1981.

ROLNIK, R. A Cidade a Lei: legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1997.

RYKWERT, J. A sedução do lugar. A história e o futuro da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 2004

SARLO, B. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras; Belo Horizonte: UFMG, 2007.

SIQUEIRA, L. Bens e costumes na Mantiqueira. Socorro no prelúdio da cafeicultura paulista (1840-1895.) São Paulo: Tese de Doutorado: Universidade de São Paulo, 1999.

THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

WAISMAN, M. O interior da história: historiografia arquitetônica para uso de latino-americanos. São Paulo: Perspectiva, 2013.

WISSEMBACH, M. C. C. Ritos de magia e sobrevivência - Sociabilidades e práticas mágico-religiosas no Brasil (1890-1940). São Paulo: Tese de Doutorado: Universidade de São Paulo, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.